terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A que viemos

Santos Total
- preparando o Centenário do Clube -

As propostas que apresentaremos a seguir não tem a pretensão de ser inovadoras. São propostas simples, mas acreditamos que elas são importantes para recolocar o clube na trilha de glória, e para preparar as comemorações do centenário do clube com o destaque que a data merece. Haverá, certamente, propostas tão ou mais valiosas do que a nossa, e certamente tão bem intencionadas quanto.
Mas entendemos que é absolutamente necessário corrigir os rumos agora, porque é agora que começamos a escrever essa página gloriosa do maior time que já existiu na face da Terra. É agora que começa o centenário do clube que teve Pelé !
Achamos que a apresentação da nossa agenda mínima deverá contribuir para que as forças políticas do clube se movam, preparem-se, posicionem-se e antecipem as discussões de seus planos e metas para as eleições do final do ano. Se assim fizerem, já teremos atingido nosso objetivo de contribuir para com o aprimoramento do processo eleitoral.
A pauta mínima que sugerimos é somente isso: um conjunto de propostas, não um Plano de Gestão. Desejamos que os agentes do processo eleitoral se comprometam com elas, e, evidentemente, apoiaremos o grupo que as encampe em sua totalidade e que se mostre capaz, política e administrativamente, de implantá-las.

I – O Santos FC que idealizamos deverá ser administrado de forma e com estrutura profissional

Ainda que não seja clube-empresa, o Santos FC deverá ser gerido e administrado sob os princípios de máxima eficiência e transparência. Para que isso ocorra, entendemos como absolutamente necessário aprovar alterações Estatutárias que propiciem remuneração às diversas diretorias, que deverão ser preenchidas por profissionais afetos a cada área específica; eliminação de cargos; enxugamento da máquina administrativa; obrigatoriedade de apresentação de balancetes mensais; estabelecimento de rotinas administrativas que garantam transparência e credibilidade, entre outros.
Não é mais possível conviver com o atual cenário de "diretores não remunerados". As diretorias devem ser preenchidas por profissionais gabaritados, e tais profissionais devem ser procurados no mercado, não nos grupos de apoio eleitoral.
Defendemos uma reorganização administrativa no clube, com a criação do cargo de CEO (Chief Executive Office), um Executivo Chefe, que é exatamente o tocador do dia a dia do clube, o Executivo que administra os mais diversos setores, ao qual estarão subordinados todos os departamentos.
Os diretores remunerados terão seus vencimentos regulados pelo mercado, e o clube deverá estar atento às oportunidades de contar com profissionais de primeira linha.
O Santos que idealizamos – com administração profissionalizada - conta ainda com um Ouvidor independente (Ombudsman), com mandato coincidente com o mandato do presidente do clube, também eleito, e ainda com um Controler (uma espécie de auditor especializado em redução de custos), a quem caberia o trabalho de eliminação de gastos supérfluos, redução do quadros de funcionários, corte de despesas para adequá-las às receitas existentes (a responsabilidade fiscal adaptada para uma entidade privada), etc.
Para que esse Santos FC surja, portanto, é necessário que:
  • o presidente eleito indique sua equipe de trabalho baseado em critérios profissionais, e não políticos;

  • e que os Estatutos sejam modernizados para permitir a remuneração de diretores, a criação dos cargos de CEO, Controler e Ouvidor e a extinção e requalificação das diretorias e cargos existentes.


Entretanto, não bastam essas providências relacionadas à diretoria executiva. É preciso modernizar o clube como um todo, e para isso defendemos, também, uma ampla reforma Estatutária que contemple:

  • mandato de 3 anos, sem direito a reeleição, para a presidência do clube;
  • mandato de 3 anos para a eleição do Conselho;
  • estabelecimento de proporcionalidade para a eleição do conselho;
  • extinção da figura do conselheiro efetivo, na medida em que esses cargos vagarem, até que o clube preencha os cargos do conselho elegendo 150 conselheiros e mais 150 suplentes;
  • alteração estatutária que possibilite que as eleições tenham mais de um único ponto de coleta de votos, estabelecendo-se que as "embaixadas" ou "escritórios de representação" do Santos FC que forem criados, sejam considerados como sede do clube, inclusive o portal Santos FC, que poderá ser utilizado para os processos eleitorais e/ou de consultas.

II - O Santos FC que idealizamos tem Pelé como presidente de honra (vitalício)

Já passou da hora de homenagear, em vida, o atleta do século, o maior desportista de todos os tempos, aquele que qualquer time do mundo gostaria de reverenciar. Não basta Museus, não basta estátuas, não basta fotos em vestiários. Pelé deve ser distinguido como presidente de honra vitalício do clube.

Para que isso aconteça, basta vontade política para promover-se as adequações Estatutárias que propiciem essa distinção.

Pelé, aliás, deverá ser parte integrante dos festejos do centenário do clube, o que precisa ser pensado desde agora, através de costuras comerciais, discussão de parcerias, acertos políticos, e tudo o mais que precise ser feito para que o ano de 2012 seja marcado por festejos por todas as partes do mundo, especialmente onde houver clubes com o nome Santos, surgidos em homenagem ao nosso clube.

III - O Santos FC que idealizamos deverá estar atento às oportunidades de mercado

Mais do que somente reduzir despesas, o clube precisa encontrar novas fontes de receita, dinamizando seu departamento de marketing, expandindo a marca SANTOS FC e encontrando parcerias que possibilitem esse acréscimo de receita. Os parceiros deverão ser prospectados por um Bureaux de Negócios, a ser constituído com anuência do clube, por profissionais ligados à área de marketing e publicidade. Ainda que essa intenção seja lugar comum às propostas que são apresentadas em relação ao clube, é necessário fixá-la para que fique claro que entendemos ser essencial o "assessoramento externo" do clube em questões de marketing e publicidade na prospecção dessas novas receitas.


IV - O Santos FC que idealizamos deverá aumentar sua base de sócios para incrementar receitas

Tal como ocorre em todas as negociações comerciais, o tamanho do público alvo é informação de suma importância para viabilizar parcerias, patrocínios e/ou apoios. Aumentar a base de associados a 100 mil sócios no ano do centenário, seria um alvo ambicioso, mas necessário para alavancar negócios nas mais diversas frentes que surgirem.

Sabemos que o interesse na associação ao clube se mede pela distância da sede do clube, uma vez que o mais importante direito garantido ao sócio é justamente o de votar nas eleições do clube (direito que não exerceria se estivesse distante da cidade).

Nossa proposta é ousada: obter sócios do clube em todos os cantos do mundo, mantendo esse direito de voto, seja por acesso criptografado em Portal de internet (nos moldes dos home bankings, tão utilizados e tão seguros), seja por via postal.


O aumento da base de sócios, ao invés de fragilizar o clube no processo eleitoral, na verdade o fortifica, uma vez que somente expoentes da política do clube, ou aqueles que consigam sensibilizar uma verdadeira legião de santistas, terão suas candidaturas tornadas viáveis, livre de oportunismos possíveis em eleições com pouca ou quase nula taxa de comparecimento e voto.

O projeto 100 mil sócios no centenário do clube é perfeitamente factível, se a contrapartida do voto for mantida para os santistas que residam fora do eixo capital-litoral de São Paulo. E quanto aos santistas que residem no eixo litoral-capital, nossa proposta contempla o voto nos escritórios de representação do clube.

V - O Santos FC que idealizamos entende que a diretoria de futebol é o ponto central do clube

Daí porque é esse o cargo que deverá ser melhor avaliado para preenchimento. O diretor de futebol do clube é aquele que dará o perfil do técnico, do trabalho, do projeto. Será dele a incumbência da montagem de uma comissão técnica permanente, estabelecimento de política salarial, aproveitamento das categorias de base, etc.

As decisões de contratações e dispensas de jogadores, as de observação de jovens promessas, as de contratação de profissionais para a comissão técnica, e, sobretudo, a elaboração de um projeto de gestão de futebol, no curso do mandato da diretoria, são sua incumbência específica.

Nossa concepção do Santos FC recomenda que seja um profissional de mercado (que entenda de futebol, não necessariamente ex-jogador), e que tenha capacidade extraordinária de negociação e gestão. Que seja capaz de desenvolver um trabalho coordenado de categorias de base e futebol profissional, com objetivo de municiar o clube com ao menos 5 atletas por ano, seja para aproveitamento, seja para negociação.

Entendemos que, nesse particular, seja absolutamente essencial a montagem do Santos B, para manter os vínculos federativos com nossos atletas da base enquanto não são negociados e/ou aproveitados, podendo haver, inclusive, parcerias com clubes do interior afinados com nossa fisolofia de trabalho.

Ao lado da diretoria de futebol profissional, à qual estará vinculada a diretoria de futebol de base, acreditamos que deva haver uma diretoria de futebol feminino, com total e plena autonomia de trabalho, que deverá ser preenchida por um profissional dinâmico, ágil e profundo conhecedor de marketing esportivo, a quem caberá elaborar um projeto de hegemonia do clube (contemplando inclusive a participação em ligas, em torneios pelo mundo, com patrocínio diferenciado e orçamento próprio). Isso permitiria a tomada de decisões e até a convivência, no clube, de dois patrocinadores com público alvo específico (exemplo: SEMP TOSHIBA para os profissionais e NATURA ou VALISÈRE para o futebol feminino, com público alvo muito mais ajustado ao patrocinador).

VI - O Santos FC que idealizamos fomentará o surgimento do Grupo de Empresários Santistas

O conjunto de medidas propostas (administração profissional, com choque de gestão, responsabilidade fiscal, enxugamento da máquina administrativa, transparência no trato do dinheiro do clube, modernização estatutária, nomeação de Ouvidor independente, aumento da base de sócios, aproximação e parceria com Pelé e sua marca) certamente contribuirá para o surgimento do Grupo de Empresários Santistas, que constituiriam um fundo de investimento no clube, seja para obtenção de reforços, seja para a viabilização de negócios de interesse do clube, ou mesmo para a participação pontual em determinada questão do dia a dia do clube.

VII - O Santos FC que idealizamos será comemorado em todos os cantos do mundo no ano do seu centenário

Um ambicioso projeto do centenário do clube será o coroamento de toda a trajetória de mudança, que começa hoje. No ano do nosso centenário, teremos Pelé como presidente de honra, teremos uma imensa gama de produtos no mercado, teremos um time montado exclusivamente para participar de torneios, de exibições, de festejos, teremos exposições itinerantes, teremos hiperexposição na mídia mundial, excursões pelo mundo, obtendo novos associados, vendendo nossos produtos e difundindo as marcas PELÉ/SANTOS em todo o lugar por onde passarmos.


Ao lado disso, as cidades de Santos e de São Paulo terão exposições, ciclos de filmes, documentários, palestras, festejos, contando pedaços da trajetória do maior time de todos os tempos.


Nesse ano o Santos FC utilizará um uniforme especial em comemoração ao seu centenário.

Mas o centenário precisa ser pensado agora, para que seja muito bem preparado.


E esse agora passa, necessariamente, pelo processo eleitoral de 2009.


Em resumo, portanto, defendemos, como agenda mínima:

1 - Choque de gestão - Gestão profissional do clube com remuneração de diretores e profissionais, enxugamento da máquina administrativa e adoção de todas as práticas modernas de gestão (pregão eletrônico, balancetes mensais disponibilizados pela internet, certificação ISO 9.000 e 14.000, criação dos cargos de Controler, CEO e Ouvidor independente, adequação do organograma do clube para torná-lo empresarial, etc)

2- Modernização Estatutária - Para propiciar:

a) remuneração dos dirigentes do clube

b) estabelecimento de mandato de 3 anos, sem direito à reeleição para a presidência do clube

c) mandato de 3 anos para o Conselho;

d) estabelecimento da proporcionalidade do Conselho Deliberativo

e) extinção paulatina da figura do conselheiro efetivo, mantendo-se somente os conselheiros natos, eleitos e suplentes

f) eleições através de voto direto nas "embaixadas" ou "escritórios de representação do clube", através de portal de internet, ou pelo correio) nomeação de Pelé como presidente de honra do clube, distinção de caráter vitalício) criação dos cargos de CEO, Controler e Ouvidor independente e extinção de cargos e diretorias supérfluas.

3- Preparação dos festejos do centenário do clube a partir de agora, nomeando-se, se for o caso, uma Comissão destinada a tratar especificamente desse assunto, composta por santistas notáveis nas mais diversas áreas de atuação profissional.


4- Facilitar o surgimento do Grupo de Empresários Santistas, para apoiar iniciativas, aportar recursos e/ou viabilizar projetos de maior porte


5- Aproximar-se de Pelé, desde agora, e firmar parcerias e acordos comerciais para o centenário do clube

Como dissemos no início, esses pontos fazem parte de nossa agenda mínima e constituem o que acreditamos ser a base de nossa proposta de mudança (o que não se confunde com Plano de Gestão ou Plataformas Políticas, inerentes aos grupos que desejem disputar o poder no clube). São propostas factíveis, pois a maioria delas depende somente de vontade política em sua implementação.


Estamos convictos de que a hora é realmente de mudança e estamos dispostos a contribuir com o que for preciso para que essa mudança realmente ocorra, a bem do Santos FC e de toda sua torcida.

14 comentários:

Michel Moretti disse...

CLAP, CLAP, CLAP, CLAP !!!!

Fica até difícil comentar algo, depois de ler este texto !!!

Então só me resta continuar...
...agora de pé !

CLAP, CLAP, CLAP, CLAP !!!!!!!!

Renato Ribeiro disse...

Perfeito, e que dentro dessa agenda façamos do centenário do Santos um centenário completamente diferente dos "semternadas" de outros clubes do Brasil...

JUKEBOX disse...

Está perfeito. O caminho é por aí. O que temos que ficar atentos, na minha opinião, seria com relação à remuneração:
Se, a partir daí, as pessoas não se interessariam tornar-se elegiveis, pelo dinheiro e não por amor ao clube, como acontece na política brasileira. Onde foram parar os ideais políticos?
Hoje, o ideal chama-se dinheiro: pagou leva.
Percentagens,na venda de jogadores e contratos qdo no final de mandatos.
Fora isso, acho que está tudo perfeito.

Movimento Santos Total disse...

Jukebox, nós achamos que o Santos deve ser administrado profissionalmente, e isso não necessariamente significa que os melhores profissionais disponíveis devam ser santistas. Seria ótimo que fossem.

Nós preferimos um profissional altamente competente remunerado, do que um apaixonado pelo clube, não remunerado e inoperante. Achamos que essa equação explica nossa opção por um modelo de gestão profissional.

Seria muito legal ter um santista apaixonado, competente e que nem precisasse ser pago....mas isso não se encontra mais por aí. E nem devíamos mais procurar.....

Douglas disse...

A carta é uma grande conquista. Reunir diferentes pensamentos, aglutinar essas idéias com um fim comum não é fácil, acreditem!

Parabéns a todos os envolvidos!
A divulgação de carta de intenções é mais um passo certeiro no nascimento da Santos Total!

Allan Maciel disse...

Grande passo. Que a caminhada continue firme.

Gustavo disse...

Muito bom!!

É sempre muito legal ver a torcida se mobilizando em prol do clube...

Estas propostas condizem muito bem com o que se espera de um clube gigante como o Santos.

Parabéns SANTOS TOTAL

Anônimo disse...

"IV - O Santos FC que idealizamos deverá aumentar sua base de sócios para incrementar receitas"

Só uma observação, nessa crise econômica mundial, as pessoas estão cada vez mais temerosas em gastar, só em último caso, e quando o investimento for de algum modo: vantajoso. Portanto, aqui vai uma pergunta: "Além do dinheiro gasto nas mensalidades, o que terá de privilégios o associado?!" O fato de só poder votar é muito pouco, o torcedor santista quer saber o que mais o Clube irá lhe oferecer em troca, quais serão os proveitos, benefícios e ganhos. Um torcedor residente em outro estado, ou continente que queira se associar, o que ele irá ganhar, quais serão as regalias e benesses como sócio?!

Fico no aguardo de uma resposta. Muito obrigado!

Santos Total disse...

Anônimo.

Nós achamos que muita gente se associaria se houvesse a contrapartida do direito ao voto.

Dizemos isso porque na recente campanha do sócio-torcedor (que dava brindes, mas não dava o direito ao voto), muita gente se arrependeu.

Independentemente disso, acreditamos que o acesso a um Portal do Santos, com acesso a jogos históricos, newstletter, chats com jogadores, acesso a fórum, TV Santos Online, descontos nos produtos oficiais, etc, seriam atrativos adicionais facilmente implementáveis.

Mas sinceramente, acreditamos que o voto é o melhor brinde que podemos sugerir para um torcedor realmente interessado em ajudar.

Anônimo disse...

Sugestões importantes:

1. Fundamental: jogos na capital. Não os clássicos (esses devem ser na Vila mesmo), mas jogos menores, porque a torcida comparece, e deixa a torcida da Baixada com mais "saudade" do time. Resultado, casa sempre cheia (tanto na Vila quanto no Pacaembu), mais vitórias etc. etc.

2. Mandato de 3 anos sem reeleição? Ótimo. Mas que haja uma cláusula que impeça o Presidente de se candidatar novamente em menos de 5 anos depois do término de sua gestão. Ou seja, isso impede a falsa alternância, entre dois "caciques". Impede a ditadura do bipartidarismo personalista. Favorece o pluralismo e a democracia no clube.

3. O ano do centenário do Santos é dois anos antes da Copa do Mundo. O Santos poderia propor à CBF a realização de uma "Mini-Copa" em comemoração ao centenário, a ser realizada em algumas das cidades escolhidas para sediar a Copa de 2014 (exemplo: Brasil x Itália em Manaus, Brasil x Alemanha em Campo Grande; Brasil x Argentina em Porto Alegre). A seleção jogaria com a camisa do Santos. (essa sugestão é um tanto utópica, mas é do tamanho e do peso que tem o centenário do Glorioso).

Santos Total disse...

Anônimo, como dissemos no princípio, essa é nossa agenda mínima. Centenas de ideias tão boas quanto as suas aparecerão. Esperamos que as forças políticas do clube estejam atentas para elas. Abraço e obrigado.

Eduardo VArjão disse...

Adorei as idéias, embora o movimento não tenha a pretensão de ser inovador, foi exatamente isto que conseguiu: inovar!

Gostaria de acrescentar que na agenda mínima deveria estar expresso um projeto de ações na capital.

É claro que o Santos sempre estará em Santos, mas precisamos subir a serra, São Paulo é o maior mercado comercial da América Latina, se imaginamos um Santos gerido nos moldes de uma empresa, não podemos deixar este mercado num segundo plano.

Além de mandar mais jogos na capital, é necessário que nossos dirigentes apareçam na mídia, que ações de marketing direcionadas a capital sejam realizadas, que escolinhas sejam criadas e que nossa sub-sede tenha uma força política real e que não seja um cala-boca para os sócios da capital.

SantosTotal disse...

Eduardo, agradecemos seu comentário e sugestões. Achamos que você está coberto de razão em todos os aspectos de sua postagem. Essas ações na Capital, preenchimento de espaço na mídia paulistana, etc, será decorrência da implantação da gestão profissional, especialmente no item III do item que vc comentou. Achamos isso tão relevante que imaginamos um Bureaux de assessoramento externo. De qualquer forma, como dissemos, da agenda mínima centenas de ideias poderão e deverão surgir. Abração e obrigado pelo comentário oportuno.

Glorioso Santos FC disse...

Olá Amigo Santista!

Em primeiro lugar quero elogiar pelo seu blog, parabéns.

Sou do blog "http://gloriososantosfc.blogspot.com/" e gostaria de lhe propor uma parceria. Parceria essa de trocarmos links, vc inclui meu end. no seu blog e faço o mesmo no meu.

Fico no aguardo,

Grande Abraço

Naldo
Glorioso Santos F.C.